Tuesday, 18 November 2008

IVAN



















Compor a grande roda, este círculo de aprendizagens
É sentir-se integrado com o visível e o invisível,
guiado pela irreverência de Exú

É beber água doce na fonte da doce Oxum

É sentir-se aquecido pelo fogo de Xangô

É sentir-se afagado pela brisa de Iansã


É cuidar da Ayiê (Terra),
da Omi (Água),
do Izô (Fogo)
e do Ofururu (Ar)


Com a benção dos mais velhos, nossos antepassados!



~ Ivan Belém

*

Post a Comment