Posts

Showing posts from July, 2012

Plantando nas alturas

Image
fapemat ciência
http://www.revistafapematciencia.org/noticias/noticia.asp?id=426


Agricultura Plantando nas alturas 20/07/2012 12:49 A empresa sueca Plantagon é uma das líderes na área e já tem previsão para inaugurar em breve sua primeira fazenda vertical em Linkoping.A população mundial deverá ser de cerca de 9 bilhões até 2050 e pelos menos 80% dessas pessoas viverão nas grandes cidades, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa).  Igualmente preocupante, é que quase de 80% das terras cultiváveis do planeta já estão em uso atualmente. Diante destes números, o primeiro pensamento que vem à cabeça é: “a conta não bate”. Alimentar um número tão grande de seres humanos com tão pouco espaço disponível é um dos grandes desafios das próximas décadas. A agricultura vem se preparando para isso, aumentando a produtividade, criando novas tecnologias e investindo maciçamente em pesquisa científica. Um grupo de cient…

Reservas falham na proteção de espécies

IHU - UNISINOS
http://www.ihu.unisinos.br/noticias/511837-reservas-falham-na-protecao-de-especies


Reservas falham na proteção de espécies Criadas para conservar a biodiversidade, áreas protegidas em florestas tropicais estão falhando neste compromisso. Análise de dados dos últimos 20 a 30 anos de 60 reservas na África, na Ásia e na América, incluindo o Brasil, aponta que metade delas está experimentando uma queda na quantidade de indivíduos de diversas espécies analisadas. A reportagem é de Giovana Girardi e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 26-07-2012.

Apesar de serem tecnicamente preservadas, essas reservas continuam sofrendo ameaças como perda de hábitat, caça e superexploração de produtos florestais. Falta, em boa medida, proteção às áreas protegidas.

"Alguns parques não passam de linhas desenhadas nos mapas. A biodiversidade naqueles mais desprotegidos certamente está indo pior, na média, do que naqueles que contam com melhor proteção", disse ao Estado o biólogoWill…

1/10 [rel2012] - DADOS GERAIS

Image
1.RELATÓRIO SEMESTRAL DE PESQUISA fevereiro 2012 ~ agosto de 2012
FE

NÚMERO E NOME DO LABORATÓRIO ASSOCIADO: Laboratório 5- EDUCAÇÃO, SOCIOECONOMIA E PRÁTICAS CULTURAIS
1.2NÚMERO E TÍTULO DO PROJETO: 5.1. Comunicação e Formação Coordenação: Maria Liete Alves & Giseli Nora
5.2. Trabalho, Território e Identidade Coordenação: Regina Silva & Rosana Manfrinate
5.3. Avaliação Ecossistêmica do Milênio Coordenação: Michèle Sato & Lúcia Kawahara
1.3COORDENADOR DO PROJETO:  Michèle Sato
1.4EQUIPE CIENTÍFICA: Nome titulação instituição proj tema de pesquisa Michèle Sato Dra UFMT 5.3 Mitologia

3/10 [rel2012] - JUSTIFICATIVA

Englobando 3 projetos, o laboratório 5 tem destaque aos processos de comunicação, formação e educação popular, com forte orientação ao trabalho, tanto em nível da economia solidária e popular como dos serviços ecossistêmicos. Os processos formativos e comunicacionais do Lab 5 estão conectados aos estudos dos grupos sociais invisibilizados que devem ser incluídos na história. Por meio de uma lupa de aumento, estamos também dando visibilidade aos principais problemas socioambientais do Pantanal, gerando táticas de enfrentamento e resolução de problemas. Conseguimos dar atenção aos trabalhos locais, valorizando o artesanato, a construção de canoas, aos serviços de agricultura, pesca e gado, potencializando meios de empoderamento econômico solidário e popular. Mapeamos os tipos de serviços ecossistêmicos e valorizamos os saberes biorregionais (popular) conjugados com os universais (científicos). Sublinhamos a importância da cultura como condição sinequa non da formulação de políticas públ…

2/10 [rel2012] - OBJETIVOS

PROJETO 5.1. – edu-comunicação e formação Promover o jornalismo científico, a edu-comunicação e a formação, reconhecendo que a educação e a comunicação são duas fortes dimensões que promovem opiniões e tomadas de decisões, e portanto podem contribuir à formulação de políticas públicas que favoreçam a qualidade de vida das comunidades pantaneiras.
PROJETO 5.2. – trabalho, território e identidade Compreender a noção de trabalho que oferece o perfil dos grupos sociais, seus conflitos e os tipos de alternativas de sobrevivência que garantem a qualidade de vida, especialmente na economia solidária, popular e também nas relações de gênero, desde que existem várias associações de mulheres trabalhadoras no Pantanal.
PROJETO 5.3. – avaliação ecossistêmica do milênio Popularizar as leis do Pantanal, auxiliando na manutenção do conjunto de signos, crenças e valores que se relacionam com a felicidade das comunidades tradicionais (qualidade de vida). Propor a incorporação da cultura nas políticas públi…

4/10 [REL2012] - METODOLOGIA

Nossa metodologia é qualitativa, modificando-se conforme os projetos e subprojetos de cada membro da equipe. Com predomínio da fenomenologia e sociopoética, há também pesquisas histórico-dialéticas e cartográficas. Não utilizamos questionários, mas nossas entrevistas são abertas, seguindo um roteiro de itens que pode ser formal ou informal. As entrevistas não estruturadas possibilitam melhor diálogos, descobertas, detalhamento e interação, além de um conjunto de signos, valores e percepções que é de extrema importância na interpretação dos fenômenos sociais. Observações participativas, oficinas e reuniões também são outros meios utilizados, e a arte desempenha função vital não somente porque permite a criação, mas porque representa uma outra forma de linguagem de luz, som ou aspecto cênico. Além disso, favorece a comunicação e educação popular com pessoas que não possuem o letramento e o numeramento escolar.

5/10 [rel2012] - RESULTADOS

RESULTADOS 5.1. - 5.2 - 5.3



•     Cursos de formação para comunitários, estudantes e professores em ação conjunta com a SEDUC; •     Material pedagógico sobre os diálogos de saberes na educomunicação; •     Evento nacional de jornalismo científico; •     Construção de ações e táticas que possam resolver alguns conflitos socioambientais, favorecendo os grupos sociais vulneráveis; •     Intensificação dos trabalhos com associações, cooperativas ou grupos de trabalho ligados à economia solidária e popular; •     Estudos relacionados com empoderamento feminino; •     Continuação do mapeamento dos serviços ecossistêmicos; •     Caderno pedagógico sobre as leis do Pantanal, musicalidade, festejo e mitologia; •     Caderno pedagógico especificamente sobre a mitologia indígena; •     Oficinas e cursos de formação aos membros da comunidade (extensão); •     Um subsídio pedagógico sobre educação ambiental ao ensino fundamental e médio, englobando todas as disciplinas e áreas do saber transversalizado, com…