Wednesday, 5 November 2014

A produção e a subsistência na comunidade de São Pedro de Joselândia

A produção e a subsistência na comunidade de São Pedro de Joselândia

Relatório de Campo
São Pedro de Joselândia. 29/10 a 02/11/2014.
Giseli Dalla Nora

             
 Fonte: Nora, 2014.


O trabalho de campo realizado no período de 29/10 a 02/11/2014 teve como objetivo levantar dados para o projeto Identidades e emancipação das mulheres do campo: políticas, saberes e educação”, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI)  cujo objetivo geral é Compreender como são construídas as identidades das mulheres do campo e suas emancipações,  tanto políticas quanto econômicas,  vislumbradas nos processos  pedagógicos escolar e não escolar aliado aos princípios da educação ambiental, arte e na reconhecimento dos saberes.

Durante o dia 29/11 visitamos  o curso que de produção de cabaça com biscuí no salão paroquial da Igreja  de São Pedro de Joselândia com a ministrante – Dudu;  e em seguida realizamos uma entrevista com o senhor  Paulo Santana  e seu genro Gonçalo investigando sobre o clima e as alterações sentidas no pantanal.

                A noite fomos agraciados com a apresentação do grupo Tibanaré, grupo de teatro que se apresentou nas comunidades do Pantanal de Joselândia a pedido do SESC PORTO CERCADO.


               Fonte:  Nora, 2014.

               Também visitamos a escola estadual Maria Silvina Peixoto de Moura e observamos o desenvolvimento dos PAECs, já implantados na escola como a cortina verde, o telhado verde, a casa tradicional e também o Ecofiltro. A escola esta reformando o muro da entrada.

No dia 30/10 visitamos a comunidade de Pimenteira vizinha a comunidade de São Pedro, onde entrevistamos a senhora Deunice Bueno de Souza e seu marido o senhor Jose Domingos Padilha de Moura conhecido como “Zé Dias”.  Em seguida visitamos o seu Joaquim, figura histórica na comunidade de São Pedro.

              No dia 31/10 entrevistamos a senhora Adjanil Caldas da Silva a senhora “Deja” que mora na estrada do “Brejão” também em São Pedro, mas um pouco afastada do núcleo central que é nas imediações da Igreja.

               No período vespertino visitamos a senhora Rita de Almira de Arruda Alvarenga esposa do senhor Jose Maria da Silva Alvarenga, chacareiros localizados na região Matão.

No mesmo dia entrevistamos o senhor Salvador “Vadô” e conversamos sobre a festa de são Pedro bem como a roças da região. No dia seguinte dia 01/11 de 2014 conhecemos outra área de São Pedro a região do “Ceará” onde entrevistamos a senhora Adelina Cândida de Alvarenga, “Dona Pequitita”.  Entrevistamos também o senhor Marcos Almeida Dias, o Marquinho, diretor da escola que tem um profundo sentimento de ser pantaneiro e do que é ser pantaneiro, uma das lideranças da comunidade.

Com esta atividade de campo se pode conhecer mais da realidade local de São Pedro e  as comunidades de circunvizinhas. A imersão realizada neste momento ilustrou o imaginário e a abrangência do saber popular e como que as atividades de campo mostram os fenômenos em si.

Este campo se vislumbrou a importância das “roças” e de como a vida no meio rural esta ligada ao cotidiano da roça e de como o pulsar do pantanal é importante para vislumbrar o cuidar do ambiente.



Post a Comment