Friday, 15 March 2013

Assembleia geral do FunBEA aprova e empossa seus primeiros conselheiros


Postado em  por funbea - mais info: http://www.funbea.org.br

437_3995186897095_1837064985_n
Foram aprovados e tomaram posse nesta terça-feira (19) os Conselhos Deliberativo, Consultivo e a Comissão de Finanças e Auditoria do Fundo Brasileiro de Educação Ambiental (FunBEA), na assembleia realizada no Sesc Consolação, na capital paulista. Na ocasião, também foram escolhidas a presidente e vice-presidente do Fundo, ambas membros do Conselho Deliberativo: respectivamente, a pesquisadora Eda Tassara, professora titular da Faculdade de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP) e presidente do Instituto Brasileiro de Estudos Contemporâneos (Ibec), e a gestora e educadora ambiental Míriam Duailibi, presidente do Instituto Ecoar.

“A vida não é uma linha reta que vai daqui ali. A vida é sonho, a vida é realidade. E você está no meio deles”, recitou Tassara, parafraseando um documentário da cineasta experimental Maya Deren e lembrando que o FunBEA é um sonho coletivo que está virando realidade. Geria Montanar, professora aposentada da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), que discursou em nome da Comissão de Finanças e Auditoria, afirmou que para além das previsões estatutárias da mesma, seus integrantes querem contribuir com a construção de mecanismos de transparência e controle social do FunBEA,  apoiando as organizações contempladas no processo de prestação de contas. Na mesma linha, João Batista de Albuquerque Figueiredo, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), representando os demais membros do Conselho Consultivo, declarou que a disposição deles é a de não apenas reagir às demandas do Conselho Deliberativo, mas sim “participar ativamente e continuamente da tessitura do FunBEA”.

A eleição e posse da presidência e dos conselhos do FunBEA, no prazo de um ano, estava prevista no Estatuto aprovado em abril de 2011, em assembleia realizada no próprio Sesc Consolação. Esse processo de transição ficou sob responsabilidade da Comissão Diretora Provisória (CDP), que na assembleia desta terça-feira foi extinta e passou a gestão do Fundo aos conselheiros indicados pelos membros da CDP e aclamados por todos os associados presentes. A professora Haydée Torres de Oliveira, representante legal do Fundo durante o processo de sua incubação na UFSCar, destacou que a assembleia desta terça-feira marcou mais um passo importante na sua consolidação.

“A diversidade de Estados representados nesta assembleia é bem maior do que há um ano. Há pessoas aqui que vieram especialmente do Mato Grosso, Pará, Piauí, Ceará, Bahia, Paraná, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Rio de Janeiro”, comemorou Marcos Sorrentino, assessor do ministro Mercadante para educação ambiental e representante do Ministério da Educação (MEC) como observador no FunBEA. “Este caráter nacional do Fundo é fundamental. Os recursos para a educação ambiental têm que chegar à ponta, aos coletivos e movimentos que reivindicam e constroem uma sustentabilidade de fato, não um dourar da pílula”, completou ele.

“O FunBEA é uma iniciativa necessária”, sintetizou Nilo Diniz, diretor de Educação Ambiental no Ministério do Meio Ambiente (MMA) e representante do mesmo no FunBEA, também na categoria de observador. Tanto Diniz quanto Sorrentino foram os palestrantes do panorama sobre a educação ambiental no Brasil, que encerrou a assembleia.

Saiba quem são os novos conselheiros do FunBEA

O Conselho Consultivo do FunBEA é formado por 18 educadores ambientais de referência nacional, representantes das cinco regiões brasileiras: Alexandre Rossi (Sudeste), Amadeu José Montagnini Logarezzi (Sudeste), Bernardo Arantes do Nascimento Teixeira (Sudeste), Carlos Eduardo Frickmann Young (Sudeste), Cláudia Coelho Santos (Nordeste), Danilo Santos de Miranda (Sudeste), Fábio Deboni (Centro-Oeste), Fausto Rodrigues Alves de Camargo (Sudeste), Heitor Queiroz Medeiros (Centro-Oeste), Isabel Cristina de Moura Carvalho (Sul), João Batista de Albuquerque Figueiredo (Nordeste), José Matarezi (Sul), Luiz Antonio Ferraro Junior (Nordeste), Manoel Serrão (Sudeste), Maria Inês Gasparetto Higuchi (Norte), Maria Rita Avanzi (Centro-Oeste), Marilena Loureiro da Silva (Norte) e Moema L. Viezzer (Sul).

Já o Conselho Deliberativo tem 12 membros, que vêm de cinco segmentos, previstos no estatuto do FunBEA: empresarial, acadêmico, governamental, não governamental e associados pessoas físicas sem vínculos com os quatro segmentos anteriores. Os conselheiros recém empossados são Eda Terezinha de Oliveira Tassara (acadêmico), Haydée Torres de Oliveira (acadêmico), Isis Akemi Morimoto Oliveira (governamental), Eliane Dias Camilo (governamental), Flávia Torreão Thiemann (sociedade civil), Juscelino Dourado (empresarial), Liane Biehl Printes (acadêmico), Maria Henriqueta Andrade Raimundo (pessoa física), Miriam Duailibi (sociedade civil), Nelton Miguel Friedrich (empresarial), Rachel Trajber (pessoa física) e Thaís Brianezi (pessoa física).

A Comissão de Finanças e Auditoria é composta por três integrantes: Antonio Vitor Rosa, Geria Maria Montanar Franco e Thais Ferraresi Pereira.

Na categoria de observadores estão quatro representantes do setor governamental: Fabiana Prado (ICMBio/MMA), João Paulo Sotero (Serviço Florestal Brasileiro/MMA), Marcos Sorrentino (MEC) e Nilo Diniz (DEA/MMA).

O FunBEA é um fundo privado de interesse público, não estatal, destinado à captação de recursos e ao fomento de ações estruturantes em educação ambiental em todo o Brasil. Desde setembro de 2010, quando foi lançado, ele funciona como um projeto de extensão da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), até que esteja plenamente estruturado.
Post a Comment