Monday, 26 August 2013

A biomassa tropical vista do espaço

o eco
http://www.oeco.org.br/geonoticias/27508-a-biomassa-tropical-vista-do-espaco?utm_source=newsletter_23&utm_medium=email&utm_campaign=leia-em-o-eco


A biomassa tropical vista do espaço
Paulo André Vieira - 25/08/13

Enormes quantidades de carbono são armazenadas naturalmente nas florestas, seja pelas árvores e outras plantas, ou no próprio solo da floresta. A biomassa das florestas tropicais desempenham um importante papel no ciclo global do carbono, servindo como um reservatório dinâmico de carbono. O tempo necessário para recapturar o carbono armazenado na biomassa quando do desmatamento ou da degredação das florestas é geralmente mais longo do que em outros tipos de vegetação.
O desmatamento e a degradação da floresta nos trópicos são responsáveis por cerca de 20% das emissões antrópicas de dióxido de carbono, antrópicas significando aquelas produzidas como resultado da ação humana, contribuindo significativamente para a quantidade de gases do efeito estufa liberados na atmosfera. Apesar da importância das florestas tropicais ainda são poucos os estudos a respeito das condições da cobertura de vegetação nos tropicos, o que leva a uma carência de dados para acompanhar o crescimento da degradação e o monitoramento de mudanças no futuro.
Woods Hole Research Center monitorou durante três anos a cobertura florestal pan-tropical e o estoque de carbono armazenado nas florestas tropicais. Durante o estudo foram utilizando dados do sensor MODIS a bordo dos satélites Terra e Acqua e do perfilamento a laser feito pelo sensor GLAS a bordo do satélite ICESat. Foi o primeiro mapa pan-tropical de carbono florestal que utilizou esta abordagem.
Os mapas abaixo foram feitos com dados recolhidos entre 2007 e 2008, e mostram a quantidade de biomassa em toneladas por hectare. Quanto mais verde, mais biomassa e mais carbono armazenado. O desmatamento e a degradação dessas áreas representam uma maior quantidade de gases do efeito estufa liberados na atmosfera. Você pode comparar esses mapas com os dados de desmatamento disponíveis em nosso projeto InfoAmazonia.





Post a Comment