Wednesday, 1 May 2013

lenda pantaneira é tema de curta que estreia amanhã

http://www.revistaporanduba.com.br/rabo-de-olho/lenda-pantaneira-e-tema-de-curta-que-estreia-amanha/


LENDA PANTANEIRA É TEMA DE CURTA QUE ESTREIA AMANHÃ

Curta-metragem “Corixo – A Mulher de Branco” será lançado amanhã
Lendas e causos existem em diversas regiões do país e compõe o imaginário popular. No Pantanal sul-mato-grossense não poderia ser diferente. O curta-metragem “Corixo – A Mulher de Branco”, que será lançado amanhã, às 19 horas, no MIS-MS (Museu da Imagem e do Som), aborda os contos populares da região da Nhecolândia e Paiaguás. A entrada é gratuita.
O curta-metragem conta com investimentos do Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais da FCMS (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul), que destinou R$ 25 mil ao projeto. O diretor do filme, o sul-matogrossense de Corumbá, Marcelo Moreira explica que o roteiro é antigo.
“Na verdade a ideia surgiu quando eu ainda trabalhava na TV UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), em Campo Grande. Foi parte também da minha graduação em Rádio e TV, em 2000 e 2001. Foi uma série de documentários sobre o povo pantaneiro. Eu visitei o Pantanal e descobri que tinha muita história para ser contada”, explica Moreira. Para o curta, Moreira resolveu selecionar um dos episódios. “Era uma série que eu tinha feito para a TV, então, quando eu soube do edital escolhi um dos episódios para fazer a produção”, frisa. No curta, a história de uma mulher de branco, aparentemente com um vestido de noiva, assusta os moradores ao ficar perto de porteiras e estradas.
“O que eu acho legal, é que eles vão contando muitas histórias, muitos causos, até mesmo que não têm muita explicação. No curta tem um personagem que é contador de causos, que é um personagem recorrente da cultura pantaneira, pessoas muito interessantes. A intenção foi escrever essa experiência em um roteiro de ficção, a realidade e o imaginário”, frisa.
Produção retrata contos populares da região da Nhecolândia e Paiaguás
Apesar da inspiração com o Pantanal, o diretor não pôde filmar na região e optou por uma fazenda próxima do município de Rochedo.
“Não consegui filmar lá, devido aos custos da produção. Preferi uma fazenda perto de Rochedo. Ao todo são sete atores, que interpretam o grupo que está descobrindo as lendas e a atriz que interpreta a mulher de branco”, frisa.
Moreira já tem uma carreira extensa na produção de obras audiovisuais, em vídeos de publicidade e no roteiro de curtas-metragens.
“O roteiro do filme ‘Barata’, escrito por mim foi premiado em um festival paulista em 2005 e também tive um roteiro selecionado em Cuba, no ano de 2006”, ressalta.
.
.
Publicado em 28/06/2012
www.oestadoms.com.br
Autora: Naiane Mesquita
Post a Comment